Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

HistóriGeo - Portugal

História & Geografia

HistóriGeo - Portugal

História & Geografia

25
Jun07

Têxtil - Vila Nova de Famalicão - Vale do Ave

EduardoSantosCarneiro

 

" A Indústria Textil - Contexto Histórico" sobre a região do Vale do Ave(Concelho de Vila Nova de Famalicão). Devem salientar-se as fábricas de Pedome, Riba de Ave, Delães, Bairro(Caniços), Pousada de Saramagos, Vale S.Cosme, Lousado, Esmeriz - todas no concelho de Famalicão...

   

075.jpg

https://www.facebook.com/Hist%C3%B3riGeo-Portugal-130500857025122/ www.eduardocarneiro.blog.com

 

23
Jun07

Arqueologia Industrial - Famalicão - Vale do Ave

EduardoSantosCarneiro

" A Indústria Textil - Contexto Histórico" sobre a região do Vale do Ave(Concelho de Vila Nova de Famalicão). Devem salientar-se as fábricas de Pedome, Riba de Ave, Delães, Bairro(Caniços), Pousada de Saramagos, Vale S.Cosme, Lousado - todas no concelho de Famalicão...

Ex: Pedome

A fábrica de Ribeiro Guimarães & Salazar, estabelecida em Pedome, "foi fundada em 1890 por Manuel José Alves Salazar, constituindo então uma pequena unidade de tecelagem manual, a exemplo de muitas outras então existentes na Bacia do Ave. Em 1896 constitui uma sociedade comercial em nome colectivo com Manuel José Ribeiro Guimarães, sob a denominação “Ribeiro Guimarães & Salazar”. Será este o responsável pela introdução de teares mecânicos, que representavam 71% do capital com que reforçou a empresa" 1. (...) esta empresa não inicia a sua actividade pela fiação de algodão, mantendo-se como tecelagem, embora mecanizada a partir de 1896, dado que a fiação só é introduzida em 1907, quando já laborava sob outra razão social, denominada “Empresa Social de Fiação e Tecidos do Rio Ave & Cª Lda”. "Tratava-se sem dúvida de uma pequena fábrica que, em 1912, dispunha de 248 fusos e 25 teares mecânicos, e utilizava um motor a gás pobre de 100 CV e uma roda hidráulica de 25 CV, servindo esta só para accionar a tecelagem. Durante a estiagem a energia fornecida pela roda era substituída por um motor eléctrico de 30 CV"1.

Fonte: 1 Prof. José Lopes Cordeiro-Univ. Minho

 

Pesquisa documental, sobre a região do Vale do Ave( Famalicão), realizada por: Eduardo Manuel Santos Carneiro.

487274_102489469891425_1171610519_n(2).jpghttps://www.facebook.com/eduardo.santoscarneiro

https://www.facebook.com/Hist%C3%B3riGeo-Portugal-130500857025122/

www.eduardocarneiro.blog.com

 

 

04
Jun07

Arte Românica - Santiago de Antas - Portugal

EduardoSantosCarneiro

A Igreja de Santiago de Antas começou por ser a igreja de um mosteiro. Sabe-se que pertenceu ao antigo Mosteiro da Ordem do Templo e há documentos comprovativos de que em 1549 era propriedade dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. Entretanto o mosteiro desapareceu, tendo apenas resistido a igreja que é, presentemente, igreja paroquial.

Esta igreja foi classificada como imóvel de interesse público no ano de 1958. Na opinião de vários especialistas em história da Arte, a Igreja de Santiago de Antas é um monumento construído “entre o segundo e o terceiro quartel do século XIII com tipologia arquitectónica românica de transição para o gótico (Assis, 2005). Relativamente à data de edificação desta igreja, Carlos Alberto Ferreira de Almeida refere: “Temos (…) nesta igreja três oficinas diferentes, a primeira das quais poderá datar-se dos derradeiros anos do século XII e a última da segunda parte de Duzentos” (Almeida, 1986,p75).

A igreja de Santiago de Antas sofreu ainda modificações “Mais tarde, no Século das luzes, além das influências da Contra-Reforma, com vestígios maneiristas e barrocos, foram abertas frestas para dar luminosidade à Igreja, por forma a serem contempladas as diversas obras de arte colocadas no interior do templo.

Já no século XIX, entre outras intervenções, destaque para a construção de uma torre sineira, de estilo ogival ou gótica e para as talhas neoclássicas” (Assis et Pereira, 2005).

Pesquisa de:

Ana Paula Quinta Castro Faria Carneiro / Eduardo Santos Carneiro

 

www.eduardocarneiro.blog.com

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D